O ribat da Arrifana (Aljezur, Algarve):. resultados das escavaçoes arqueológicas no Sector 3 (2003/2004)

Autores: Rosa Valera Gomes, Mario Varela Gomes

Publicación: Revista Portuguesa de Arqueologia, ISBN 0874-2782, Nº Vol. 9 nº 2, 0, pags. 329-352


Texto completo del artículo

Resumen:

Dá-se a conhecer conjunto edificado, em meados do século XII, constituído por pequena mesquita, minarete e possível “muro de orações”, situado na extremidade da península da Ponta da Atalaia e integrado no ribat fundado por Ibn Qasî. Aquelas estruturas desempenharam papel fulcral na hierarquização do espaço do ribat, deduzindo-se que o pequeno templo acima referido seria utilizado pelo mestre e pelos seus seguidores mais directos. A presença do minarete, situado próximo, vem acentuar a importância daquela zona do ribat, debruçada sobre o Oceano e onde, primeiramente, se terá erguido “muro de orações”. Este sector do ribat foi reocupado, depois de período de abandono, durante o século XIV e os inícios do século XV, tendo a mesquita sido alterada e os restos do minarete servido como atalaia, originando
o topónimo com que o local é hoje conhecido. Entre o espólio exumado contam-se artefactos
epipaleolíticos, que testemunham presença humana remota, cerâmicas e outros objectos
contemporâneos da edificação e funcionamento do ribat (meados do século XII), tal como
cerâmicas e numismas ulteriores à conquista cristã do Algarve (séculos XIV a XVI).